_N̶o̶t̶u̶r̶n̶o̶_

 
joined: 2021-04-28
99%_Paz____________________1% .....
Points37more
Next level: 
Points needed: 163
Last game

Cada um têm seus próprios demônios....

Cada um tem seus próprios demônios, seus próprios problemas pra resolver. Temos tanto a fazer e ajustar nas nossas próprias vidas e, ainda assim, muitas vezes nos pegamos querendo cuidar da vida alheia.
Pra mim, não faz sentido algum.
 Por isso acho que cada um deve fazer o que lhe faz mais feliz. Se é um moicano rosa, se é se pintar de preto, se é jogar jogos que parecem infantis, se é amar alguém do sexo A ou B, não é da nossa conta. Ficar falando da vida alheia me parece um recurso mental para esquecermos momentaneamente das nossas próprias vidas quando não estão muito boas.

Quando você perceber que está louco pra cuidar da vida alheia, é sinal de que sua própria vida merece um pouco mais de atenção.

Tentar saber mais sobre a vida de quem você gosta não é problema.
O problema surge quando sua motivação é achar algo de ruim, algo pra falar mal, ou razões pra ficar dando pitacos não construtivos na vida de outra pessoa.
 Ler um bom livro, aproveitar as pequenas coisas da vida, viajar, curtir e fazer o que se gosta - se o problema é tempo livre demais, há diversas formas de melhor utilizá-lo.

Mas bora combinar uma coisa: se já estivermos felizes, ótimo, agora deixemos os outros serem também. Se não estivermos felizes, é hora de concentrar nas nossas próprias frustrações e deixar os outros seguirem suas vidas, beleza?


""""""""

Não se deixe enganar, há pessoas preocupadas somente com a sua utilidade.
Elas te veem como um produto que, quando preciso, é retirado da prateleira, usado e depois esquecido novamente.
Mas quando for a sua vez de depender dessas pessoas — seja para pedir um conselho, jogar conversa fora ou simplesmente aproveitar a companhia em silêncio — elas não estarão lá.
Então você entenderá que há um momento em que também é preciso ficar indisponível, ocupado, ausente.
Você sentirá a necessidade de aprender a ignorar, tirar da prioridade e a dizer "não". E isso não é por maldade ou vingança, mas por defesa, proteção.
Você cansou de viver na prateleira da vida, empoeirado.
Doando tudo de si e não recebendo nada.
Não que você busque recompensas ao ajudar sempre. Mas é que reciprocidade de cuidado é essencial.


É isso aí!

É isso ai; a vida da muitas voltas
Quando acreditamos que vencemos uma guerra,
Apenas vencemos uma batalha.
É isso ai; quando estamos em pleno sonho
Já está na hora de acordar
E olhamos em volta tudo acabou.
É isso ai; quando decidimos a viver
O tempo se findou
E somente a vontade restou.
É isso ai; não da pra perder tempo
Correndo atrás do supérfluo
Deixando de lado o essencial
O tempo não volta
Só da pra olhar no retrovisor
Do que ficou ou nada restou.


Agressivas e descontroladas!

É como se nas redes algumas pessoas se permitissem não mais usar o banheiro para suas necessidades, apenas se aliviam como e onde bem querem.

Sem dúvida, alguma lentidão ou falta de punição colabora para o ser humano mostrar esse seu lado perigoso, imensamente imaturo e desestruturado.

O que vemos frequentemente é como a intolerância se manifesta em uma magnitude relevante.

As pessoas deixam de usar seus filtros básicos de estrutura na vida e controle de impulsos a apenas agem e reagem. As pessoas falam suas verdades independente se alguém vai ouvir e tampouco se vai ofender o outro. Falam porque fantasiam que seus conteúdos internos são tão relevantes que precisam exibir para o mundo e sentem muito prazer em não ter limite ou filtro em suas falas.

Gestos e falas agressivas costumam ganhar imenso público.

A sociedade sempre adorou e sentiu prazer em assistir o outro sofrer (praças com pessoas enforcadas, mulheres acusadas de bruxaria sendo queimadas, apedrejamento em praças públicas).

Sempre houve muita plateia que delira e sente muita satisfação com o outro sendo atacado.

Logo, quem ataca nas redes sociais não faz isso sozinho, faz porque se identifica com outros perversos pelo mundo que sentem muito prazer em menosprezar, agredir e humilhar outras pessoas.

A perversidade humana está escancarada nas redes sociais, mesmo que tantas vezes venha disfarçada com valores morais.

A falta de filtro, de limite, de controle emocional e empatia é um grande sintoma da imensa imaturidade de ego e incapacidade ou adoecimento emocional dessas pessoas.

A internet tem sido um grande termômetro para nos mostrar a consequência assustadora que a falta de manejo e cuidado, a falta de afeto ou excesso dele, a falta de limite ou excesso de limite, a falta de preocupação com o emocional nas formações das pessoas. Tudo isso causa sérios adoecimentos psíquicos e atinge toda sociedade.


Apenas Procure!

Procure valorizar as pessoas com as quais você convive; aquelas pessoas que estão sempre ao teu lado te apoiando, te valorizando e as vezes você nem percebe.
E que, por falta de tempo, ou simplesmente por sempre dar prioridades a outras coisas ou pessoas que você acha que são mais importantes, você acaba esquecendo daquelas pessoas que mais se preocupam com você.
Um dia você pode acordar e perceber que elas se foram para sempre, sem que você pudesse dizer ao menos um "Obrigada por tudo".
Portanto valorize as pessoas enquanto pode, pois saudade e arrependimento,não trazem ninguém de volta.