J.Cosmo_

 
Registro: 14/11/2020
R.i.p.
Pontos117Mais
Próximo nível: 
Pontos necessários: 83

Quanto mais conectados, talvez uma maior solidão!

22/01/2021       

Quanto mais conectados...

...talvez uma maior solidão!

 

Ao lembrarmos de que precisamos de alguém, não podemos nos esquecer de que também somos um alguém...

Para se ter alguém não é necessário lá estar, com e ao lado...

...já que para sentimentos não há distância!

Por vezes alguém ao nosso lado, uma pessoa do nosso dia a dia, nos seria a pessoa ideal para nossa vida, mas...

...não há interação!

...não a conhecemos além do que vemos!

...não sabemos o que pensa!

...não sabemos como age!

...não sabemos seus valores!

...não sabemos se sorri ou se chora, pois só a vemos com uma cara!

Podemos conceituar apenas, bonita ou feia!

...não a conectamos!

Não conhecemos o "dentro" da pessoa!

...justamente por que não a conectamos!


Conectar?



No entanto...

Ao conectarmos, tudo muda...

Nós mudamos!

Nossa realidade muda!

No mundo virtual o primeiro contato é com o interior da pessoa...

...é quando conectamos primeiro o que está dentro da pessoa, antes de vermos o que está por fora!

...pois passamos a agir com nosso âmago, não com nossa cara e nem com a cara da pessoa!

Colocamos pra fora nossas verdades, ainda que duvidosas...

...e lemos ou ouvimos as verdades dela!

Colocamos pra fora nossos anseios, nossos medos, nossas neuras...

...e lemos ou ouvimos as intempéries emocionais dela!

Colocamos pra fora nossos valores...

...e absorvemos os valores dela!

Colocamos pra fora nosso charme, aquele sem pudor...

...e somos seduzidos pela sensualidade dela!

Colocamos pra fora nossas vontades...

...e sentimos as vontades dela!

Colocamos pra fora nossos mais obscuros desejos!

...e conhecemos pessoas como nós!

E tudo sem a cara, nossas caras ou a dela!


E conectados ficamos, gostamos, aprendemos e ensinamos, conhecemos e estranhamos, flertamos e brigamos, sentimos e amamos...

Por vezes, até...

...perdemos a noção do que é amor e do que é tesão!

Gozamos e gostamos...

Gostamos e gozamos...

E conectados ficamos!


E uma cara, sem ações do mundo real, vira cara com sentimentos mais que expostos, mais intensos, quando conectamos!

O jeito, o olhar, o gesto, o sorriso e a beleza, a princípio, pouco importam...

...já que muitas vezes nem no real temos isto!

Estamos conectados com quem está se mostrando pra gente de uma forma que não conhecemos alguém que seja!

...por dentro!

Uma nudez interna, um strip tease de valores e emoções intensas!

Já que as pessoas que convivem conosco, no dia a dia, dentro da nossa realidade, são aquelas que...

...não sabemos o que pensam!

...não sabemos como agem!

...não sabemos se sorriem ou se choram, pois só as vemos com a cara formal!

Nós não as conectamos!


E o maravilhoso mundo do conectar nos traz uma realidade sem corpo, mas com alma, que muito nos satisfaz!

...pois temos e vivemos numa intensidade que faz de horas, segundos!

...e faz de dias, horas!

Já que o mundo real nos traz o corpo, mas nem sempre nos entrega a alma!                                                                                    

O importante é que saibamos viver, tanto no mundo real, quanto nos conectando...

 


Entretanto...

Imprescindível é...

Não nos esquecermos dos valores a se agregar numa conexão...

Não podemos estar conectados para fugir do mundo real, mas sim como opção de busca a algo melhor...

Não vivamos em conexão da mesma forma que na real vida...

...pois aquelas caras sem vida, e de valores ocultos, no mundo real, podem ser as vidas sem caras, e sem valores, numa conexão!

Pessoas como nós, que querem uma chance, uma chance de serem e se conhecerem, com os mesmos valores que aqui temos, junto aos desejos mais intensos, que busquem sim alguém de verdade num mundo de conectar...

Um só alguém!

Uma só vida!

Tenhamos a conexão como forma de amar e sermos  amados, e não como forma de fugirmos de algo que pode estar dentro de nós...

...a solidão!

 

A solidão só deixa de existir quando encontra um amor, seja aqui ou seja lá...

Do contrário...

...seremos sempre escravos de uma quantidade, de pessoas e “amores”, que sempre nos deixará sós!

 

Todos nós temos um passado!

...ou dois passados!

O dito e vivido por nós, e o dito e não vivido pelos outros!

E a soma de tudo que ocorreu neste passado é que será o lastro para que saibamos, hoje, escolher e nos identificar...

...primeiro com a alma, depois com o corpo!

 

Saibamos nos conectar a um coração, para que este seja aquele que possa vir a nos completar!
Não nos tornemos sós numa multidão!

 

Conectar...

“Se te conhecesse por fora, antes de te conhecer por dentro...

...talvez nem um olhar te lançaria, quanto mais estar hoje a te amar!”