Adolf Heydrich

 
Registro: 10/07/2019
Der Krieg wird erst enden, wenn die Ungerechtigkeit vorbei ist. Nach vorne
Pontos51Mais
Próximo nível: 
Pontos necessários: 149
Último jogo

Há inocência.

26/10/2020       

Carta ao juiz supremo carnal o eu interior (Nós mesmos)

Por que a criança tem suas ilusões e percepções ainda em formação;
Não unifica a realidade com a razão, seguindo sempre a linha correta da etapa de sua doce inocência.
A criança por si só, possui a despreocupação da realidade que o poderia atingir.
Fazendo do seu mundo, um mundo de imaginação, isso é obrigatório, pois, é a etapa,
da fantasia solta, da ilusão, da criatividade ilusória, pura e, sem nenhuma maldade.
A vida sempre traz conflitos, conforme o crescimento da sua maturidade, a vida vai surpreender.
Basta que a vida coloque uma situação inesperada, que surge a perda da fantasia solta e, chega
a realidade sombria, seca e, obrigatória. Lá se esvai a inocência, como água entre os dedos.
É aí que surge a depressão na adolescência ou infantil, a criança não estava preparada para receber!
O choque de realidade! O choque inesperado. 
Porém, ao crescer, existem adultos inocentes?
Acredito que ainda existem adultos inocentes, pois, a inocência é a pureza dos atos, sem culpa!
É ingenuidade no cotidiano e, na sua conduta, sem que machuque ninguém.
Mas…Quando o adulto alega ser “Uma doce criança inocente, porém, comete atrocidades de,
desvio de integridade e, caráter? Enxergando inocência nesses atos sujos e, fora dos valores estruturais, da verdade e caráter e, índole também. Isso é doença mental? Ou falta de ensinamento sobre o que é limite?
A desculpa do mesmo é, que continua uma criança. Mas criança é inocente por natureza e, ser inocente,
significa pureza onde não se consegue cometer delitos macabros, nem atrocidades, que agride os valores morais.
Então é uma espécie de anjo caído, tentando florescer uma luz branca, onde só brilha as trevas.
Ou seja. Só existe adulto inocente, quando não comete atrocidades e, não deixa ninguém passar por cima os seus valores morais e, íntegros, de caráter, onde prefere sempre a paz, a verdade e, a dignidade.

                                                                                                    Adolf Heydrich.